Posts

Exposição "Return of the Rudeboy" | foto: Dean Chalkley, com direção criativa de Harris Elliott | reprodução internet

O retorno dos rude boys

Já falamos aqui sobre uma profissão chamada cool hunter, ou caçador de tendências. Mais especificamente, falamos de Magá Moura, uma linda e antenada baiana, de apenas 26 anos, que tem se destacado no mundo da moda e lifestyle por seu estilo e originalidade. Hoje, um ano após a publicação daquele texto, me deparei com uma situação na qual pessoas acabam sendo cool hunters, mesmo que por acaso.

Na verdade, esse talento tem a ver com o poder de observação de cada um e, quando se trabalha com assuntos como moda, cinema e publicidade, por exemplo, o talento acaba sendo treinado. É como se para certas pessoas as tendências simplesmente saltassem aos olhos, enquanto para outras, passam despercebidas.

É assim que entendo o trabalho feito pelo cineasta Dean Chalkley e pelo diretor de criação Harris Elliott. Ambos são britânicos, amigos e parceiros de trabalho de longa data. Em 2012 – coincidindo com as Olimpíadas de Londres, a denominação de Usain Bolt como o homem mais rápido da Terra e também com o aniversário de 50 anos da independência da Jamaica – os dois amigos, individualmente, começaram a perceber uma mudança no código visual dos jovens negros.

Calças curtas e chapéus estilosos começaram a substituir as roupas esportivas exaustivamente usadas pelos cantores de rap e hip hop. Havia uma atmosfera de mudança no ar, então Chalkley e Elliott começaram a fotografar pessoas nas ruas, na tentativa de registrar as transformações e captar as tendências. Concluíram, então, estar diante do renascimento do estilo dos rude boys.

Esse assunto também já foi abordado aqui, mas vamos recordar. Rude boys era o nome que se dava às gangues que surgiram na Jamaica logo após a independência, em 1962. Bob Marley flertou com eles e até fez uma canção para tranquilizar sua mãe quanto às más influências (Simmer Down – ouça abaixo). Muitos jamaicanos emigraram para o Reino Unido e influenciaram culturalmente outros grupos de jovens como os mods e, posteriormente, os punks.

A cultura rude boy está ligada à construção da autoestima e também à determinação e criatividade desses imigrantes, dispostos a buscar seu lugar numa sociedade conservadora e racista. E foi exatamente isso que Chalkley e Elliott captaram através dos retratos: a expressão da nova geração de negros através de suas roupas, sua forma de vestir.

Ao contrário do que acontece num ensaio de moda, o trabalho realizado pela dupla não buscou o glamour. As pessoas foram fotografadas ao natural, com suas próprias roupas, nas ruas de Londres. Através de conversas com as pessoas fotografadas, chegavam a outras pessoas que igualmente serviriam de modelos.

O trabalho gerou, primeiramente, uma exposição. Durante dez semanas, no verão londrino de 2014, esteve em cartaz na Terrace Galleries, na Somerset House. Além das fotos, houve eventos ao vivo, DJs e até uma barbearia no estilo rude boy. De quebra, foi exibido o filme “The Harder They Come”, intimamente ligado ao tema. Já em 2015,  a exposição seguiu para o Japão, no Laforet Museum Harajuku, em Tóquio.

Janelle e Gwen: visual estilo rude boy.  |  fotos: reprodução internet

Janelle e Gwen: estilo rude boy.

A exposição foi reunida no livro “Return of the Rudeboy”, lançado no último mês de junho. Além de um número ainda maior de fotos, há textos sobre a herança cultural dos rude boys e detalhamento da montagem da exposição em Londres.

Ao acaso, por treino ou vício profissional, os amigos Chalkley e Elliott acabaram por identificar e resgatar uma forte tendência. E as grifes, é claro, seguiram a onda. Marcas britânicas como Fred Perry’s e Brutus já lançaram suas coleções inspiradas nesse movimento, tão importante para formação da identidade cultural jamaicana. As cantoras Gwen Stefani, do No Doubt, e Janelle Monáe são duas adeptas do estilo.

Assista à entrevista de Harris Elliott e Dean Chalkley:

Alpha Blondy & The Solar System | foto: Alan Alves

Brasil e África numa noite de celebração à música da Jamaica!

Em pouco menos de um ano de projeto, já virou rotina: se é um grande show, o Jamaica Experience marca presença! E assim foi mais uma vez, com a recente passagem de Alpha Blondy pelo Brasil. Acompanhado de sua espetacular banda The Solar System, este ícone africano do reggae conquistou a plateia que lotou a Audio Club, em São Paulo, com um repertório cheio de grandes hits e seu carisma habitual.

A OBMJ botou todo mundo pra dançar ao som de vários clássicos brasileiros, tocados em ritmo jamaicano! | foto: Alan Alves

A OBMJ botou todo mundo pra dançar ao som de vários clássicos brasileiros, tocados em ritmo jamaicano!

Para quem já conhecia o show, uma ótima oportunidade de relembrar os clássicos e conhecer as músicas de seu novo álbum, “Positive Energy”. Para os que ainda não conheciam, a alegria de estar pela primeira vez à frente daquele grande artista e de músicos impecáveis, que transbordaram vibrações positivas e transformaram aquela noite em uma grande e inesquecível festa. Um show para ver, rever e deixar registrado para sempre na memória! Clique aqui e confira um álbum de fotos do show em nossa fanpage no Facebook!

A festa também contou com os cariocas do Dub Ataque, com o folk do britânico Marky Kelly e com aquela que, para os verdadeiros amantes da música jamaicana de raiz, era a grande sensação da noite: a Orquestra Brasileira de Música Jamaicana. Um timaço de músicos instrumentistas, liderados por Felippe Pipeta e Sergio Soffiatti, que botam todo mundo pra dançar num baile ao mesmo tempo “divertido e educativo”, nas palavras dos próprios idealizadores.

E o Jamaica Experience aproveitou o momento para saber mais sobre esse projeto incrível! Nesta entrevista exclusiva para a nossa apresentadora Magá Moura, Felippe Pipeta e Sergio Soffiatti, os criadores da OBMJ, contam como surgiu a banda, falam das suas principais referências sonoras e traçam paralelos bem interessantes entre a música brasileira e a jamaicana, com suas similaridades de raiz e de ritmos. Uma pequena aula, à qual todo apreciador de música jamaicana deveria assistir.

Este é mais um conteúdo inédito e com o selo de qualidade Jamaica Experience. Assista, comente, compartilhe com seus amigos e nos ajude a fortalecer esta rede em prol da legítima cultura jamaicana em nosso país.

Por aqui, seguimos na missão! Mais novidades em breve…

Assista à cobertura do show + entrevista exclusiva para o Jamaica Experience:

Julian Marley no palco do Espaço das Américas | foto: Fabiano Oliveira

The Wailers & Julian Marley: mágico!

2015 começou muito bem para os amantes de reggae no Brasil. Isso porque o The Wailers, banda ícone do reggae mundial – conhecida, entre outras coisas, por ter sido a banda do rei do reggae, Bob Marley – esteve de passagem por aqui em turnê que percorreu quase todo o país.

O grupo, que já esteve no Brasil em muitas outras oportunidades, desta vez resolveu presentear os fãs com uma apresentação histórica e subiu ao palco pela primeira vez acompanhando o filho do rei, Julian Marley. Mais: reuniu vários integrantes de uma formação clássica, que excursionaram ao lado de Bob Marley entre 1974 e 1981.

Capitaneados pelo lendário baixista Aston “Familyman” Barrett, integrante da formação original, o “The Wailers Band Reunion”, como ficou conhecida esta formação especial, percorreu 15 cidades brasileiras e desembarcou em São Paulo no final de janeiro para um show que ficará marcado para sempre como uma das performances mais emblemáticas do grupo jamaicano em terras tupiniquins.

Músicos como Earl “Chinna” Smith (guitarra), Tyrone Downie (teclados) e Glen DaCosta (sax), além do próprio baixista Aston Barrett, acompanhado de seu filho Aston Barrett Jr. na bateria, garantiram a sonoridade clássica dos Wailers. Julian Marley, com sua presença de palco e energia, representou muito bem o pai e levou o público à loucura com um repertório nada convencional.

É claro que o Jamaica Experience estava lá para conferir tudo isso! Veja no álbum acima como foi esta noite mágica e confira ainda uma entrevista exclusiva que fizemos com Julian Marley e Aston “Familyman” Barret para o nosso canal no Youtube. Pra ficar tudo melhor ainda, cobertura e entrevista “by” Magá Moura. Não dá pra perder, certo?

E só pra não perder o costume: fiquem ligados, vem muito mais por aí!

Assista a seguir à cobertura exclusiva do show para o Jamaica Experience:

A apresentadora e embaixadora do Jamaica Experience, Magá Moura, na festa de lançamento do projeto.

Jamaica Experience TV: a novidade que faltava!

Se você já conhece o nosso site, sabe que a nossa proposta é trazer o melhor da Jamaica ao Brasil, através de informação de qualidade e várias outras ações que visam fomentar o acesso à cultura jamaicana em suas mais diversas vertentes.

Em pouco mais de 4 meses, o site Jamaica Experience já disse a que veio e mostrou ao público uma Jamaica até então pouco conhecida de muitos brasileiros.

Na música, fomos além do óbvio para mostrar o tamanho da influência da música jamaicana em nível mundial. No turismo, procuramos ir além do lugar-comum e desvendamos algumas das maiores preciosidades da ilha. Da mesma forma, a cultura jamaicana de um modo geral, do estilo de vida à culinária, foi devidamente retratada por aqui.

E como estamos sempre em busca de novidades, à procura da melhor maneira de levar tudo isso a vocês, anunciamos uma novidade: a estreia oficial do nosso canal no Youtube!

E o Jamaica Experience TV já começa em grande estilo, trazendo a cobertura exclusiva da festa de lançamento do projeto (assista ao vídeo acima). O evento rolou em Sampa, na Audio Club, contou com um show especial da banda Cidade Negra, celebrando os 20 anos do clássico álbum “Sobre Todas As Forças”, a estreia de Magá Moura como apresentadora e a presença de ilustres convidados e parceiros.

A banda brasileira que mais investiu na interlocução Brasil-Jamaica também falou com exclusividade à nossa apresentadora Magá Moura. Curiosidades sobre o disco, a Jamaica (e os jamaicanos) estão na pauta da entrevista, que ocorreu momentos antes do show do grupo carioca. Confira abaixo o bate-papo na íntegra.

E isso é só o começo! Inscreva-se em nosso canal para ficar por dentro de todas as novidades previstas para o próximo ano, acesse sempre para assistir às melhores playlists (só com o melhor da música jamaicana em seleções exclusivas feitas pela nossa equipe) e muito, muito mais.

Então tá combinado. A Jamaica vai desembarcar no Brasil para o mais ousado e inovador projeto já realizado envolvendo o tema, e você é nosso convidado especial para esta grande festa. 2015 promete!

Assista à entrevista exclusiva do Cidade Negra para o Jamaica Experience TV:

foto: Anthony Webb | divulgação Magá Moura

Magá Moura, a profissional que veio do futuro

Magá: da Bahia para o mundo.  Foto: Alex Batista  |  divulgação Magá Moura

Magá: da Bahia para o mundo.

Um sábio amigo me disse, certa vez, que não se preocupava com a escolha profissional do filho, na época, com uns 10 anos de idade. Segundo ele, o mundo tem mudado de forma tão rápida que, muito provavelmente, a profissão a ser escolhida pelo menino ainda nem tivesse sido inventada.

Pois é, foi exatamente o que senti, quando fui incumbida de escrever a respeito de Magá Moura. Além de relações públicas, a moça, baiana de 26 anos e radicada em São Paulo há 17, é coolhunter. Numa tradução livre, uma caçadora de tendências, uma espécie de pesquisadora do futuro.

Diferentemente do que muitos pensam, a profissão não se restringe apenas ao mundo da moda. De acordo com Sabina Deweik, do instituto de pesquisas de tendências de consumo Future Concept Lab, “o coolhunter é um pesquisador que observa em 360 graus o que está acontecendo de novos comportamentos em uma determinada região. Para isso, ele observa várias áreas.”

No último mês de agosto, Magá lançou seu website, o Magá Moura – Life & Style. A moda está presente, seja falando sobre acessórios que ela comprou numa feirinha, em Londres, ou sobre o estilo de alguém que ela conhece. Mas há outros assuntos bem legais, como novos aplicativos e arte de rua. O propósito do site é compartilhar as experiências cotidianas de Magá e, através delas, inspirar os visitantes a viverem suas próprias experiências.

Magá Moura e suas diversas facetas.  |  foto: divulgação Magá Moura

Magá Moura e suas diversas facetas. | foto: divulgação Magá Moura

Mais do que apenas se vestir de maneira marcante, ser um coolhunter significa bater muita perna e observar, observar muito e registrar o máximo possível, em fotos. Agora, para chegar a conclusões a partir do que viu por aí, é preciso ter embasamento, ler muito, estudar, viajar (sempre que possível). Magá, por exemplo, esteve na London Fashion Week, em setembro. Ela já aceitou o convite do Jamaica Experience e pretende, em breve, visitar a Jamaica, onde cobrirá dois aspectos específicos: Lifestyle e Nightlife.

Assunto não vai faltar! Na música, a Jamaica já é uma referência, uma forte influência para diversos artistas, de várias partes do mundo. Da mesma forma, no esporte, com seus atletas de grande destaque mundial. Mas e as artes, o grafite nas ruas, a maneira de se vestir no dia a dia da ilha? E as festas, como se divertem os jamaicanos nos dias ensolarados e nas noites quentes? Então, fica combinado: quando Magá voltar da Jamaica, mostraremos tudo para vocês!