Posts

OT_blue-mountains_destaque1

Blue Mountains são agora Patrimônio Mundial da Humanidade

O mundo é muito vasto, repleto de lugares não apenas bonitos mas significativos, quer em termos naturais ou culturais. As pirâmides do Egito, a catedral de Notre Dame, na França, os Alpes Suíços e o Parque Yellowstone, nos EUA, são alguns exemplos. No Brasil, locais como os centros históricos de Ouro Preto e Olinda, ou áreas de pura natureza, como o Pantanal e Fernando de Noronha.

As Blue Mountains ficam entre Kingston e Port Antonio.  |  foto: reprodução internet

As Blue Mountains ficam entre Kingston e Port Antonio.

Não é por acaso que todos os lugares citados fazem parte de um grupo, denominado pela UNESCO (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura), Patrimônio Mundial da Humanidade. Há mais de 40 anos – mais precisamente desde 1972, quando foi assinado o tratado internacional sobre o assunto – a  UNESCO vem buscando identificar, proteger e preservar locais considerados de valor excepcional para a humanidade.

Além de incentivar governos e populações a cuidar desse patrimônio, a iniciativa da UNESCO acaba por aguçar a curiosidade em conhecê-lo. Anualmente, novas localidades passam a fazer parte dessa lista e a Jamaica, com suas Blue Mountains e John Crow, acaba de entrar no grupo.

Os dois conjuntos de montanhas, com cerca de 26.000 hectares, fazem parte de um parque de mesmo nome e com área total de 48.000 hectares. O terreno acidentado, porém cercado de vegetação exuberante, fontes e cascatas foi o cenário perfeito para que lá se instalasse, no século XVIII, um grande número de escravos fugidos, os Maroons. Aproveitando-se da mudança de colonizador, uma vez que a Inglaterra tomou a ilha das mãos da Espanha, rumaram para as montanhas e criaram vilas e cidades, passando a viver em liberdade.

Especificamente nesta área agora nomeada Patrimônio Mundial da Humanidade, viveu a tribo dos Windward Maroons. Guerreiros e bastante organizados, lutaram com os britânicos até que, em 1739, conseguiram um tratado de paz, garantindo sua liberdade e soberania na região.

Os Maroons vivem hoje em cidades como Charles Town, Scots Hall e Moore Town, desceram do topo das montanhas em direção ao vale do Rio Grande. Preservam, contudo, suas tradições na forma de governo, na música, na dança, no batuque e também na culinária e no uso de ervas medicinais. Tudo isso, somado aos resquícios das primeiras vilas e cidades no alto das montanhas é o que se pretende preservar em termos culturais.

No que tange aos aspectos naturais, a área possui um dos habitats considerados raros nas montanhas tropicais, denominado floresta nublada (devido a ocorrência frequente de neblina baixa, na altura das copas das árvores). Além de inúmeras árvores e plantas nativas, as montanhas são refúgio para espécies como a borboleta rabo-de-andorinha e pássaros como o Jamaican Blackbird e o Jamaican Tody. Finalmente, as cadeias montanhosas fornecem mais de 40% da água consumida pela população da Jamaica, além de água para uso na agricultura, indústria e comércio.

As paisagens encantadoras da Jamaica, muitas delas captadas do alto das montanhas, podem ser vistas em “Beneath Jamaican Skies”. O filme foi produzido pelo canadense Levi Allen, que utilizou o processo cinematográfico de time-lapse, aquele em que o tempo parece correr mais depressa. É uma boa maneira de traduzir em imagens um pouco da exuberante natureza da ilha.

Certamente, a denominação atribuída pela UNESCO às montanhas jamaicanas é mais do que justa. Esperamos que o fato sirva de inspiração para conhecer não apenas as Blue Mountains mas também outros belíssimos e importantes locais na Jamaica que futuramente, quem sabe, também possam integrar esse grupo.

Assista ao vídeo “Beneath Jamaican Skies”, de Levi Allen:

foto: Shutterstock

Jamaica: entre os top 10 quando o assunto é lua de mel

 

A Jamaica é um dos 10 destinos mais procurados do mundo pelos recém-casados | foto: divulgação Sandals Negril

A Jamaica é um dos 10 destinos mais procurados do mundo pelos recém-casados | foto: divulgação Sandals Negril

Uma das coisas mais gostosas e inesquecíveis de um casamento é a lua de mel. Em primeiro lugar, porque é um descanso, um prêmio ao casal, após meses de pesquisas, levantamentos e discussões. E em segundo lugar, por ser uma viagem especial, que será sempre lembrada com carinho.

Os destinos escolhidos para uma viagem de lua de mel são variados. Alguns, ficam na moda durante algum tempo, enquanto outros, são eternos objetos de desejo dos recém-casados. Para os norte-americanos, especialmente os da costa leste, a Jamaica é um dos locais preferidos. Além de ficar a apenas uma hora e meia de voo de Miami, a ilha reúne aspectos difíceis de serem encontrados num só lugar.

Uma ilha, que ao mesmo tempo é um país. Uma extensão territorial pequena, que pode ser bem explorada em dez dias. O idioma inglês. Esses, com certeza,  são alguns argumentos atraentes. Porém, as belezas naturais da ilha são inúmeras e as formas de aproveitá-las atendem a todos os gostos.

Para os casais mais românticos, um cruzeiro pela costa, com uma parada na Lagoa Luminosa ou um passeio na Reggae Beach, em Ocho Rios, com direito a jam session e mergulho entre os corais, são duas ótimas sugestões.

foto: divulgação Sandals Royal Plantation

Clique na foto para ver a galeria completa de lua de mel na Jamaica

Para os mais aventureiros, que tal os penhascos de Negril? Se preferir, vá a Ocho Rios e escolha entre nadar com golfinhos, visitar a maravilhosa cachoeira Dunn’s River Falls ou pedalar pelas Blue Mountains. Ou não escolha, faça tudo isso!

A costa oeste é a parte mais tranquila da ilha, onde impera o ecoturismo. Florestas, estuários repletos de pássaros, antigas plantações de cana-de-açúcar e quilômetros de praias praticamente intocadas. O paraíso para os casais fãs de ecologia!

A maioria dos resorts da Jamaica oferecem pacotes incríveis para casamentos e lua de mel. Suítes especiais, mordomos, concierges dedicados, massagem para casais, jantares à beira-mar e tantos outros mimos.

Há muitos anos, a Jamaica tem ficado entre os 10 destinos preferidos para lua de mel no mundo. Não é à toa! A ilha é tão especializada no assunto, que o Jamaica Tourist Board, espécie de secretaria de turismo, dispõe de um serviço de concierge online, uma ‘Guru do Amor’, que atende pelo nome de Wendy e dá dicas e sugestões de como organizar a viagem de lua de mel, para casais de todas as idades. Wendy atende também pelo twitter: twitter.com/weddingsinja