foto: reprodução internet

Bem-vindo à Jamaica britânica

As crianças aprendem inglês nas escolas, língua oficial da Jamaica.  |  foto: reprodução internet

As crianças aprendem inglês nas escolas, língua oficial da Jamaica. | foto: reprodução internet

O fato de ter sido uma colônia britânica por mais de 300 anos (de 1655 a 1962) deixou muitas marcas na Jamaica. Apesar de nem todas serem positivas, é interessante notar como a vida jamaicana está impregnada de elementos que remetem à cultura britânica, seja na arquitetura, na gastronomia, na política ou nos esportes.

O primeiro aspecto é a língua. Havia os nativos da ilha, os taínos. Então, chegaram os espanhóis, que lá ficaram por 150 anos e trouxeram os negros africanos, e depois os britânicos. Da mistura de todas essas línguas, com um pouquinho de português, surgiu o patois, que é falado por boa parte da população. Contudo, a língua oficial é o inglês, o que facilita a vida dos turistas e também dos jamaicanos, mais facilmente inseridos num mundo que se comunica em inglês.

Selo britânico em homenagem à Jamaica. Foto: reprodução internet

Selo britânico em homenagem à Jamaica. Foto: reprodução internet

A Jamaica, ainda hoje, é parte do Commonwealth. Isso significa que o país pertence ao império britânico, que tem a rainha Elizabeth como chefe de Estado. O sistema de governo jamaicano é parlamentarista e baseado no sistema britânico; o executivo é composto por um governador geral (que faz o papel da rainha), um primeiro-ministro, um vice-primeiro-ministro e os ministros; o legislativo, por senadores e a câmara, e o judiciário, pela Suprema Corte e os tribunais.

Patties, muito populares na Jamaica. | foto: reprodução internet

Patties, muito populares na Jamaica. | foto: reprodução internet

A gastronomia da Jamaica também foi influenciada pelos ingleses. O gosto por cozidos de vegetais, mingaus e pudins, são alguns exemplos. Mas, certamente, a invenção dos patties (tipo de pastel muito popular na Jamaica e consumido em lanches rápidos), creditada a eles, foi o maior legado. Largamente consumidos, são tão populares quanto um hambúrguer, para os americanos.

O mais importante produto jamaicano na época da colonização inglesa era a cana-de-açúcar. Nos latifúndios, as casas-grandes, muitas delas ainda preservadas, foram construídas no estilo inglês. A Greenwood Great House e a Rose Hall Great House, que ficam em St. James, na costa norte, são dois exemplos que podem ser visitados. Em Kingston, a Devon House, mansão que pertenceu ao primeiro bilionário negro da Jamaica, George Stiebel, também é aberta à visitação e ainda abriga restaurantes e lojas de artesanato.

Outras curiosidades: o esporte mais popular da Jamaica é o cricket e, para quem pretende visitar o país é bom saber que a mão de direção é inglesa!

A mansão Devon House, ponto turístico aberta à visitação, que abriga restaurantes e lojas de artesanato.  |  foto: reprodução internet

A mansão Devon House, ponto turístico aberta à visitação, que abriga restaurantes e lojas de artesanato. | foto: reprodução internet